Grupo realiza manifestação no Centro de Teresina contra cortes na educação

0
189

O objetivo, segundo a organização do ato, foi protestar contra o corte de verbas para a educação anunciado pelo governo federal e contra a proposta de Reforma da Previdência.

Um grupo de manifestantes realizou ato “em defesa da educação”, no Centro de Teresina, das 8h às 11h30 desta quinta-feira (30). O grupo saiu em passeata pelas ruas do Centro da capital, por volta das 9h30. O objetivo, segundo a organização do ato, foi protestar contra o corte de verbas para a educação, comunicado pelo governo federal, e contra a proposta de Reforma da Previdência.

TERESINA, 9h40: manifestantes se reúnem no centro da cidade nesta quinta-feira (30) — Foto: Lorena Linhares/G1
TERESINA, 9h40: manifestantes se reúnem no centro da cidade nesta quinta-feira (30) — Foto: Lorena Linhares/G1

O movimento, intitulado #30M, em referência ao dia 30 de maio, propôs uma greve geral dos trabalhadores, em especial na área da educação. No Piauí, apenas os professores da Universidade Federal do Piauí informaram que aderiram à greve. Em alguns cursos da instituição, aulas devem ser suspensas hoje.

TERESINA, 9h50: manifestantes se reúnem no centro da cidade nesta quinta-feira (30). — Foto: Lorena Linhares/G1
TERESINA, 9h50: manifestantes se reúnem no centro da cidade nesta quinta-feira (30). — Foto: Lorena Linhares/G1

No Instituto Federal do Piauí, na Universidade Estadual do Piauí e na rede estadual e municipal de ensino da capital não há informação sobre a suspensão de aulas.

Após deixarem a praça, os manifestantes seguiram pelas ruas Vinte e Quatro de Janeiro, Coelho Rodrigues e Sete de Setembro, interditando o tráfego por alguns minutos. Depois, seguiram pela principal avenida da cidade, Frei Serafim, até a altura do cruzamento com a rua Coelho de Resende, interditando o sentido Centro/Leste da via.

TERESINA, 10h40: manifestantes interditaram um dos sentidos da avenida Frei Serafim.  — Foto: Lorena Linhares/G1
TERESINA, 10h40: manifestantes interditaram um dos sentidos da avenida Frei Serafim. — Foto: Lorena Linhares/G1

Em seguida, os manifestantes retornaram à Praça da Liberdade, interditando no percurso o sentido Leste/Centro da avenida Frei Serafim. As interdições duraram cerca de uma hora, entre 10h30 e 11h30. O grupo dispersou após chegada na praça, por volta das 11h40.

João Correia, diretor de comunicação do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Piauí (Sinte-PI) informou que os professores estaduais estão nas ruas em apoio aos estudantes e todos os trabalhadores do país.

TERESINA, 10h00: manifestantes fazem ato no Centro de Teresina.  — Foto: Lorena Linhares/G1
TERESINA, 10h00: manifestantes fazem ato no Centro de Teresina. — Foto: Lorena Linhares/G1

“Viemos apoiar esse movimento digno em defesa de uma educação pública de qualidade, porque as políticas que o governo federal está implementando estão desfavoráveis para o desenvolvimento da educação no país. E estamos pedindo também o fim da ideia da Reforma da Previdência, porque a gente sabe que vai acabar não apenas com os direitos dos trabalhadores, mas de quem ainda vai trabalhar um dia”, declarou.

TERESINA, 11h00: manifestantes se reúnem no centro da cidade nesta quinta-feira (30). — Foto: Lorena Linhares/G1
TERESINA, 11h00: manifestantes se reúnem no centro da cidade nesta quinta-feira (30). — Foto: Lorena Linhares/G1

O professor Jurandir Gonçalves Lima, presidente da Associação dos Docentes da Ufpi (Adufpi), disse que os docentes da instituição veem a situação da Ufpi como “caótica”.

“Os cortes feitos pelo governo federal impactam no funcionamento da universidade principalmente no cotidiano, não falamos do corte de investimento, mas no custeio, o que implica na manutenção e inviabiliza a pesquisa, o ensino, extensão e tira da normalidade o ambiente acadêmico. A gente entende que a situação é caótica, porque as receitas pactuadas atualmente, segundo o reitor, só asseguram o funcionamento da Ufpi até setembro e a gente sabe que o período letivo vai até a segunda metade de dezembro, então temos um segundo semestre já comprometido”, declarou.

TERESINA, 10h10: manifestantes chegam à frente do Palácio de Karnak.  — Foto: Lorena Linhares/G1
TERESINA, 10h10: manifestantes chegam à frente do Palácio de Karnak. — Foto: Lorena Linhares/G1

Participaram do ato, segundo a organização, pelo menos 50 entidades, incluindo a União Nacional dos Estudantes (UNE), a Central Única dos Trabalhadores (CUT), CSP Conlutas, a Associação dos Docentes da Universidade Estadual do Piauí (Adcesp) e a Associação dos Docentes da Universidade Federal do Piauí (Adufpi).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui