Maria da Penha recebeu na manhã desta quinta-feira (29) titulo de cidadã piauiense na Assembleia Legislativa do Piauí. A deputada Lucy Soares foi autora da proposta de entrega da homenagem.

Maria da Penha recebe título de cidadã piauiense — Foto: Thiago Amaral/Alepi
Maria da Penha recebe título de cidadã piauiense — Foto: Thiago Amaral/Alepi

Maria da Penha recebeu na manhã desta quinta-feira (29) o título de cidadã piauiense na Assembleia Legislativa do Piauí, homenagem proposta pela deputada Lucy Soares (Progressistas). Durante seu discurso, ela lembrou das crianças – vítimas invisíveis -, que veem o assassinato das mães. Maria da Penha, que ficou paraplégica após ser vítima de violência doméstica, deu nome à principal lei de combate à violência contra a mulher no país.

“Quando sofri essa grave violência, minhas duas filhas viram. Rezava para que elas não ficassem sem a mãe. Isso me deu mais vontade de continuar na luta sobreviver, para lutar por outras mulheres no Brasil”, declarou.

Durante seu pronunciamento, ela lembrou um pouco do sua trajetória e o quanto lutou para conseguir a criação da legislação vigente.

“A lei Maria da Penha é uma lei que me custou muito anos de luta para sair do papel. Fui vítima em 1983, naquela época não existia nem delegacia da mulher no país. Fui vítima de uma simulação de um assalto, porque não houve o crime, quando descobriram que não tinha assalto, começou a minha luta por justiça que durou 19 anos “, lembrou.

Maria da Penha ressaltou a importância da fiscalização dos crimes de violência doméstica — Foto: Thiago Amaral/Alepi
Maria da Penha ressaltou a importância da fiscalização dos crimes de violência doméstica — Foto: Thiago Amaral/Alepi

Maria da Penha continuou seu discurso cobrando dos deputados a criação de políticas públicas voltadas para o combate da violência doméstica no Piauí e ressaltou a importância das fiscalizações destas ações.

“Vou aproveitar na qualidade de cidadã piauiense para pedir por políticas públicas para atender à lei. Peço mais fiscalizações, pois não adianta dizer que tem centro de referência da mulher, mas não funciona. Quero que as mulheres sintam confiança nas políticas publicas que são criadas, que as mulheres sejam atendidas com dignidade”, pontuou Maria da Penha.

Maria da Penha cobrou dos deputados a criação de políticas públicas de combate a violência doméstica  — Foto: Thiago Amaral/Alepi
Maria da Penha cobrou dos deputados a criação de políticas públicas de combate a violência doméstica — Foto: Thiago Amaral/Alepi

A mais nova cidadã piauiense fez também outras solicitações aos deputados estaduais. Ela pediu aos prefeitos dos pequenos municípios para que criem o Centros de Referência da Mulher e contem com a ajuda dos parlamentares.

“O Centro tem que se criado dentro de postos de saúde, CRAS, CREAS, ou em um lugar onde a mulher vai com o filho ou onde vai quando for ferida. O Centro precisa de equipes formadas por psicólogos, psiquiatras e advogados para atender a mulher que está sofrendo várias violências domésticas”, explicou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui